Números da franquia impressionam!


A empresa japonesa de games e entretenimento Bandai Namco, liberou recentemente suas informações sobre o ano fiscal de 2018. Os detalhes liberados no relatório são, mais especificamente, sobre os primeiros seis meses de lucro da Bandai Namco, e sem muitas surpresas para a grande maioria, foi revelado que a marca Dragon Ball é a mais rentável para a empresa.

Dragon Ball Super

Dragon Ball Super

Segundo o relatório liberado, a marca de Dragon Ball obteve algo em torno de R$ 1.2 bilhão de reais (na informação original, cerca de 43.1 bilhões de ienes).

Em um âmbito mundial de vendas, o relatório confirma que em relação às vendas de produtos relacionados aos games(merchandising em geral), a Bandai Namco, obteve um lucro que totaliza cerca de R$ 1,1 bilhão de reais (no original 38,6 bilhões de ienes).

Está previsto que, até abril de 2018, Dragon Ball gere um lucro de R$ 2,1 bilhões de reais (75.7 bilhões de ienes no original), para a Bandai Namco.

Em segundo lugar está a franquia Mobile Suit Gundam, que obteve um lucro de aproximadamente R$ 948 milhões (32,7 bilhões de ienes).

Sobre Dragon Ball:

Dragon Ball  é uma franquia de mídia japonesa criada por Akira Toriyama. Originalmente iniciada com uma série de mangá que foi escrita e ilustrada por Toriyama, teve os seus capítulos serializados na revista Weekly Shonen Jump de 1984 a 1995, com os seus 519 capítulos compilados em 42 volumes tankōbon e publicados pela editora Shueisha. Dragon Ball foi inicialmente inspirado pelo clássico romance chinês Jornada ao Oeste. A série segue as aventuras do protagonista, Son Goku, desde sua infância até a idade adulta enquanto ele treina artes marciais e explora o mundo em busca de sete esferas conhecidas como as Esferas do Dragão, que convocam um dragão que concede um desejo quando reunidas. Ao longo de sua jornada, Goku faz vários amigos e luta contra uma grande variedade de vilões, muitos dos quais também procuram as Esferas do Dragão.

O mangá Dragon Ball foi adaptado em duas séries de anime pela Toei Animation: Dragon Ball e Dragon Ball Z, que juntas foram transmitidas no Japão de 1986 a 1996. Além disso, o estúdio desenvolveu 19 longas-metragens animadas e três especiais de televisão, assim como duas séries de anime intituladas Dragon Ball GT (1996-1997) e Dragon Ball Super (2015-presente). De 2009 a 2015, uma versão remake e acelerada de Dragon Ball Z foi exibida no Japão sob o título Dragon Ball Kai, na qual a maior parte das cenas da versão original que não aparecem no mangá foram removidas. Várias empresas desenvolveram vários tipos de mídias baseadas na série o que a tornou em uma grande e popular franquia de mídia que inclui filmes animados e em live-action, jogos de cartas colecionáveis, inúmeras figuras de ação, além de várias coleções de trilhas sonoras e um grande número de jogos eletrônicos. A partir de novembro de 2014, a franquia gerou $5 bilhões em mercadorias,[1] tornando Dragon Ball uma das franquias de mídia baseadas em anime mais comercializadas de todos os tempos.

Desde o seu lançamento, Dragon Ball tornou-se uma das séries de mangá e anime mais bem sucedidas de todos os tempos. Os 42 volumes do mangá já venderam 240 milhões de cópias em todo o mundo, tornando-se a terceira série de mangá mais vendida da história. Os críticos elogiaram a arte, os personagens e o humor da história. É amplamente considerado como uma das maiores séries de mangás já feitas, com muitos mangakás citando Dragon Ball como uma fonte de inspiração para suas obras. O anime, especialmente Dragon Ball Z, também é altamente popular em vários países e foi indiscutivelmente um dos mais influentes em impulsionar a popularidade da animação japonesa na cultura ocidental.